O bem-estar do rebanho traz resultado?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Quem responde é o professor Mateus Paranhos, especialista encarregado do módulo de saúde e bem-estar animal do Fazenda Nota 10

Cuidar bem do rebanho durante todas as etapas do sistema produtivo é uma forma de o pecuarista garantir, também, condições favoráveis para as pessoas envolvidas nesse processo como um todo e para o próprio negócio. Os benefícios de se investir em saúde e bem-estar animal são diversos, e os participantes do Programa Fazenda Nota 10, iniciativa do Inttegra (Instituto de Métricas Agropecuárias) e da Friboi, terão a oportunidade de entender essa equação detalhadamente.

Quem vai explicar a relação entre bem-estar animal e  produtividade  é um dos novos mentores do projeto: Mateus Paranhos, professor da Unesp de Jaboticabal, sócio da BE.Animal e um dos maiores especialistas do Brasil no assunto.

Paranhos está empolgado com a participação no Fazenda Nota 10. “Antes mesmo de existir esse módulo de bem-estar estávamos animados em conhecer o programa”, afirma. O mentor já tomou conhecimento do perfil das fazendas inscritas e identificou um amplo espaço para promover evolução.

“Há várias propriedades que estão muito avançadas nessa questão, mas também muita gente que precisa de orientação. O fato de haver esses dois lados mostra uma oportunidade de aprendizado.”

O objetivo é exatamente auxiliar os produtores a definirem os caminhos a serem percorridos para a implementação das mudanças. Aliás, essa é a essência do Fazenda Nota 10: ajudar o produtor a identificar a real situação do negócio e em quais pontos deve trabalhar para aprimorar todo o processo.

Paranhos afirma que grande parte das adequações dos fatores relacionados a bem-estar animal – saúde, ambiente, nutrição, comportamento do gado, domínio mental (como os bovinos se sentem) – pode ser feita apenas com ajustes no manejo, sem a necessidade de mudanças na infraestrutura da fazenda. E se houver necessidade de investimento nessa área, não há com o que se preocupar, pois ele se paga e ainda traz retorno.

Entre os benefícios de uma boa gestão desse setor, Paranhos destaca a redução de perdas (morte de animais, desempenho abaixo do esperado e qualidade do produto final) e a valorização da imagem da cadeia produtiva de pecuária de corte.

“Muitos dos questionamentos do setor estão ligados aos cuidados com os animais. Há redes de supermercados com protocolos severos nessa área”, afirma o especialista. “Se não forem cumpridos, a compra da carne não acontece.”

Um fator positivo, segundo Paranhos, é que muitos pecuaristas estão dispostos a mudar, têm a mente mais aberta e aderem mais rapidamente às transformações do setor. Alguns já estão, por exemplo, substituindo a marca a fogo por sistemas de identificação mais sofisticados e alinhados com as exigências de bem-estar animal.

Algumas alterações, claro, podem ser mais desafiadoras, como promover o fim do manejo agressivo. Esse é um daqueles conceitos que não fazem mais sentido – talvez nunca tenham feito – mas ainda estão bastante arraigados na rotina de muitas propriedades. Só se sustenta pela ideia ultrapassada de que o bovino é um animal bruto e precisa ser tratado com brutalidade.

“Alterar esse comportamento é a mudança mais barata, porque é só uma alteração de manejo. Mas, ao mesmo tempo, é muito difícil, porque trata-se de uma questão cultural”, avalia Paranhos. A masterclass do Fazenda Nota 10 com o professor vai ajudar a rever pontos como esse.

Outro exemplo comum em várias propriedades, e que pode passar despercebido na rotina do manejo do rebanho, é o cuidado com a água e com a comida. “O local onde o gado bebe água está livre de contaminação? Os animais consomem o suficiente ou eles não querem beber por causa das algas que se formaram ali?”, provoca Paranhos, que também lamenta o fato de ainda haver bovinos morrendo de fome nas fazendas. “Todo ano tem seca, e tem produtor que não faz reserva de comida.”

A participação do professor Paranhos no Fazenda Nota 10 será um grande estímulo para os pecuaristas reverem sua relação com o bem-estar animal, trocar ideias e conhecimento e descobrir o quanto e como esse tema impacta em tudo na propriedade.

“Fazenda pobre tem pastagem degradada, erosão, animal que não gera renda, a condição de vida é ruim e não melhora. Cuidar do bem-estar animal muda tudo isso. O Fazenda Nota 10 traz uma reflexão importante sobre isso.”