Mude os índices da sua fazenda

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A profissionalização transforma a cultura de gestão da propriedade e gera resultados melhores em todos os setores do negócio

Como em qualquer negócio, a evolução da eficiência de uma fazenda de gado de corte depende de uma cultura empresarial que melhore o que já é bom, corrija o que for preciso e abandone aquilo que não acrescenta. Assim tem sido a trajetória dos últimos dez anos na Fazenda Caruru, localizada em Nova Monte Verde, extremo norte de Mato Grosso. O processo começou à base de tentativa e erro, avançou para o apoio de uma consultoria especializada e se consolidou com a entrada, na última safra, para o Programa Fazenda Nota 10. Como resultado desse acúmulo de experiência, os índices de produtividade cresceram como nunca na última safra.

A base do rebanho é formada por fêmeas Brahman (a maior parte) e Nelore, que são inseminadas com sêmen de reprodutores Angus. “Esse cruzamento industrial tem uma valorização melhor no mercado”, diz Miguel Rech, gestor da fazenda. O gado é criado a pasto, principalmente de capim panicum, mais proteinado. Miguel conta que conseguiu aumentar a performance sem alterar essas variáveis, mas aprimorou a forma de lidar com elas desde que entrou no Fazenda Nota 10. O programa leva aos pecuaristas referências produtivas e financeiras relevantes à gestão e às equipes e, por meio de educação e tecnologia, mostra o que realmente impacta dentro do negócio e direciona os caminhos para uma pecuária mais eficiente.

A melhoria da gestão impactou no GMD e na taxa de lotação dos pastos

Entre os resultados mais significativos, Miguel destaca o ganho médio diário (GMD) de peso de um lote dos animais da recria, que passou 692 para 881 gramas, um avanço de 27,3%. “Para a próxima safra, nossa meta é ter um GMD de 890 gramas”, comenta o produtor. O GMD global do rebanho cresceu 103,4% e a taxa de lotação geral das pastagens já passou de 1,4 para 1,5 UA (unidade animal) por hectare. É o chamado círculo virtuoso, quando uma melhoria traz outra, mais outra e mais outra. Miguel também espera aumentar de 79,5% para 80,0% a quantidade de bezerros apartados por número de vacas e novilhas em reprodução, e com peso mínimo de 200 quilos (na safra passada foi de 198 quilos).

Isso tudo só é possível porque com a aplicação das ferramentas da plataforma do Programa Fazenda Nota 10 e a orientação dos mentores do programa durante as masterclasses, implementou-se uma nova cultura de gestão, com maior participação de toda a equipe. Ao invés de apenas delegar as tarefas, agora Miguel se reúne com os colaboradores toda segunda-feira para avaliarem juntos a semana que passou e programarem a seguinte. “É o momento em que ‘afiamos as ferramentas’, como dizia meu pai, daí nosso serviço rende muito mais e gera bons resultado. Ganhamos bastante agilidade nas decisões e a equipe melhorou bastante sua capacidade de produção”, diz.

Tomadas de decisão ficam mais ágeis com participação efetiva da equipe

Mais do que fazer parte da gestão, os funcionários passaram a ter a oportunidade de ampliar sua remuneração. Se alcançarem a meta proposta para o GMD, receberão até 30% a mais de seu salário. Caso atinjam os objetivos na apartação dos bezerros, conseguem mais 70% do pagamento. “Poderão conquistar um 14º salário”, acrescenta Miguel. A atualização da gestão trouxe uma visão de futuro para o negócio. “Quando a gente não consegue enxergar longe, é mais difícil. O Fazenda Nota 10 nos oferece a possibilidade de olhar muito mais à frente, mostra que caminhos podemos traçar a cada trimestre.”

Miguel faz questão de ressaltar a importância da equipe técnica do Fazenda Nota 10. “São profissionais altamente competentes, com muito conhecimento e sem preguiça para nos ajudar, estão sempre à disposição. Eles nos auxiliam a desenvolver as atividades necessárias para atingirmos nossos objetivos”, afirma. A segurança quanto à continuidade da evolução eleva as apostas no negócio. “Tenho certeza de que os investimentos vão aumentar e seguiremos crescendo.”

Se o pecuarista já estava satisfeito, ficará mais ainda agora com a ampliação da equipe de mentoria do programa. Além de contar com o apoio de Antonio Chaker, coordenador do Inttegra; Rodrigo Gennari, líder de Projetos do Fazenda Nota 10; e Jacqueline Lubaski (gestão de pessoas), CEO da Destrave Desenvolvimento; terá contato também com especialistas como Gustavo Rezende Siqueira (nutrição), pesquisador da Apta (Colina, SP); Mateus Paranhos (bem-estar animal), professor da Unesp (Jaboticabal, SP) e sócio da BE Animal; e José Luiz Moraes Vasconcelos, o “Professor Zequinha” (reprodução), da FMVZ-Unesp (Botucatu, SP). Todos são grandes especialistas e poderão contribuir de maneira valiosa para a evolução da gestão nas fazendas participantes do Fazenda Nota 10.

Saiba mais e inscreva-se no programa Fazenda Nota 10 clicando aqui.