9ª MASTERCLASS FN10 – Felicidade do Colaborador

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

No dia 16/03/2021 foi ministrada a 9ª Masterclass do Programa FN10, Módulo 3. A mentora do Programa Jacqueline Lubaski, discorreu sobre o tema: “A felicidade do colaborador”.

É necessário observar que a felicidade dos colaboradores está intimamente ligada com os resultados da fazenda, onde, quanto maior a satisfação e engajamento de seu funcionário, maior a probabilidade de gerar lucro. O papel do gestor da propriedade é criar ferramentas e possibilidades para que o funcionário se sinta seguro e feliz.

Dados de pesquisas demonstram que quando as pessoas estão engajadas e encontram oportunidade de se desenvolver dentro do trabalho apresentam 46% mais satisfação, 75% menos índices de estresse, 32% mais comprometimento e melhoram a sua performance em 16%.

Quando o colaborador é motivado a fazer parte do propósito e do resultado da empresa, ele se sente inserido e consequentemente busca melhorar sua performance diária. Uma das maneiras de incluir o profissional, seria o engajando a se integrar com a dinâmica da fazenda (principalmente funcionários novos) onde será apresentado os valores organizacionais e apontar que quando a fazenda ganha, o funcionário também ganha.

Uma importante ferramenta para gestão de pessoas é a Pirâmide de Maslow, que organiza as necessidades humanas conforme sua prioridade, das mais básicas às mais complexas. De acordo com esta teoria, os indivíduos só passam para a próxima necessidade depois de satisfazer completamente a anterior, subindo gradualmente a pirâmide conforme realizam seus objetivos.

As características básicas são fisiológicas (alimento, repouso, moradia e roupa) e de segurança (do corpo, do emprego, de recursos de moralidade, da família, da saúde e da propriedade), onde, sem atingir níveis satisfatórios não é possível observar as demais necessidades. Logo após o indivíduo satisfazer suas necessidades básicas, entram as necessidades psicológicas, de amor/relacionamento e estima.

Neste terceiro nível, há busca por intimidade nas relações, o senso de pertencimento e de afeto, com sua família e em sua empresa. No penúltimo degrau da pirâmide, o ser humano desenvolve sua necessidade de estima, construção da autoconfiança e a conquista do respeito e reconhecimento dos outros. No topo, estão as necessidades de realização pessoal, como busca pela moralidade, criatividade, solução de problemas, ausência de preconceito e aceitação dos fatos.

Existem várias formas de implantar uma gestão eficiente de pessoas dentro da fazenda, sendo uma delas, conhecer em qual nível da pirâmide seus colaboradores estão. Esta pesquisa pode ser feita por meio de questionários, conhecer as angustias de cada um, feedbacks e/ou avaliações. A partir do momento que as necessidades básicas estão sendo garantidas, o próximo passo seria buscar o que interfere na saúde mental dos colaboradores, como por exemplo, se a gestão financeira individual está precária e está preocupando os colaboradores, é possível trazer aulas sobre o assunto, originando assim conhecimento e soluções.

Por último, é necessário trazer os funcionários para dentro dos números da fazenda, mostrar que os resultados são reflexos das atitudes tomadas e ouvir suas opiniões. Pode ser feita com quadro de gestão a vista, prêmios financeiros para as melhores ideias, entre outros. Quando a fazenda tem uma boa gestão de pessoas e existe uma clareza de propósito, ela se encontra no último nível da pirâmide. A felicidade da equipe é reflexo direto da liderança do gestor, ou seja, é necessário criar alternativas para que as pessoas se auto motivem, aceitar as suas opiniões e buscar pelo engajamento dos liderados, considerando a felicidade do colaborador como um investimento da propriedade.